Português (Brasil)English (United Kingdom)
Meio Ambiente
Projeto em total harmonia com o meio ambien..
Tecnologia Care
Uma nova concepção de turbina com a função de gerar energia elétrica..


Fatores Econômicos

Custos comparativos CARE e outras Hidroelétricas

Considerações Sociais
Prover o mundo com uma fonte de energia limpa.

Reportagem CNN

Animação - Português BR

Planejamento Irrigação

E-mail Imprimir PDF

Com a procura de melhor rentabilidade e mais eficiência na produção no campo a irrigação passa a ser cada vez mais empregada. A tecnologia de geração de energia elétrica da CARE é a fonte mais econômica, mais eficiente e mais acessível para Associações de Agricultores, cooperativas, produtores individuais de porte e para formação de parcerias particulares.

 

O objetivo desta Circular da CARE  é de levar ao conhecimento dos produtores agrícolas esta nova tecnologia de geração de energia elétrica.
A fonte de energia e a maneira de gerar influem na comercialização de produtos agrícolas no nível mundial porque abrange o meio ambiente, sua conservação e conseqüentemente na formação do valor do produto. Como já aconteceu no mercado de carnes, o mundo começa a erguer barreiras econômicas para produtos agrícolas produzidos a custo da destruição do meio ambiente.

O custo de energia é uma das despesas mais significantes em qualquer atividade agrícola, seja para irrigação de plantações ou fazenda de criação. O custo de cada produtor é o parâmetro que deve contribuir para determinar se a irrigação é economicamente aplicável. A Tecnologia Care atende com vantagens os requisitos da agricultura moderna.

A Irrigação

Fatores como variações climáticas, disponibilidade e custo de energia, variedades de culturas, variações da composição do solo, e considerações sociais e econômicas são todos fatores que contribuem para a seleção do sistema de irrigação que poderá ser implantado.
Nosso foco é no custo de energia. Para exemplifica foi empregado o exemplo das culturas de milho, soja e café com área de plantio de 100 ha já com Pivô Central sem LEPA são a base de projeção. O volume (vazão) diário a ser aplicado é ET= 7 mm/dia; isso equivale a 70 m³/há por dia. Assim: V= 70 m³/ha. dia x  100 ha = 7.000 m³/dia. Como a sistema trabalhará 23 horas/dia, a vazão fica: Q= V/T = 7.000 m³/23 horas = 304,35 m³/hora. O cálculo do consumo pode ser feito utilizando-se as equações abaixo, que foram ajustadas por Carvalho (1988):
Calculada a potência necessário pela formula P=Q.Hman div. n.270. Para motores de 25CV chegamos ao consumo em kW de 118.37KW.   n x 270. Cada hora desse motor ligado consome 20 kWh.

Considerando que o sistema de irrigação funcionará 23 horas por dia, teremos um consumo diário de:Consumo (KW/dia) = 118,37 x 23 hs = 2.722,51 KW
Contribuição dos  Engenheiros Guilherme Preuss e   Fabio Soares ( Engs°. Agrônomos)
Classe Consumo atualizada 11/3/2010

Quadro de Irrigação Por Região


No Estado do Paraná existe um programa de incentivo a irrigação denominada PIN Programa de Irrigação Noturna que, conforme relatório disponível proporciona uma economia significante a quem paga para receber energia.

Não existe uma forma de padronizar o equipamento TURBINA para sistemas de irrigação, cada caso é um caso e requer conhecer as condições locais para execução de um desenho de montagem e obter o custo específico final. Depende do numero de pivôs, da potencia final e principalmente do volume de água para geração, mas deve ser adequada a largura e profundidade do rio, riacho ou canal.

GERE SUA PROPRIA ENERGIA
CUSTOS DE GERAÇÃO TECNOLGIA CARE
Os pontos principais que devem ser definidos são: 

Água disponível em termos de  X m³/seg. – no rio, riacho, no canal. 
1. A que distância está a captação de água.
2. Qual a diferença de altura entre o ponto de captação da água e o nivel    do terreno que será irrigado.( Altura manometrica) Exemplo: 10 metros,       15, 20 quanto?  
3.  Qual a distancia horizontal entre estes dois pontos.
4. O terreno é muito acidentado entre o ponto de captação da agua e local onde será implantado o sistema.
5. Existe energia disponível. É factível empregar um grupo gerador? E qual e o custo. O custo beneficio deve ser empregado  para selecionar a melhor opção.
6. Existe disponibilidade suficiente de água?

Definido a vazão de água existente, determina a potencia da bomba ou das bombas que devem ser empregados / selecionadas, qual a tensão e a freqüência dos motores, a potencia em KW ou CV necessária para acionamento dos moto redutores de cada torre e energia necessária para o equipamento e periféricos. Tudo isso é definido pelo fabricante do sistema de irrigação selecionado. A CARE precisa saber apenas a potencia total que será consumida.

O custo de uma usina CARE de 167kw de geração depende de vários fatores como largura do rio, fluxo da corrente medido em m3 por segundo, profundidade do rio e facilidade de acesso.

A tecnologia CARE permite a instalação de uma usina de geração que trabalha com 90% de eficiência da potencia instalada. O custo de uma unidade para gerar 167 kWh esta orçado em R$1.3 milhões. Este preço deve diminuir quando as unidades são fabricadas em linha de produção. 
A unidade gerando 24 horas durante período de 30 dias resulta em uma geração mensal de 1546 mW e anual de 18.552 mW. Se for comprar este volume de uma distribuidora o custo seria 18.552 mW X R$205,78 ou R$3.817.631.00. Considerando a geração instalada VS a energia efetivamente gerada tona se importante fazer uma comparação com outras modalidade de geração. Podem ser aplicas as tabelas acima conforme local geográfico.

A observação obvia é que é possível que exista excesso de energia para um só consumidor. É neste ponto que deve ser avaliado o compartilhamento da energia entre cooperativas, agricultores em sociedade com vizinhos e outras opções semelhantes. Devem ser também levados em consideração fatores peculiares a cada lavoura, retorno no capital, prazo e rentabilidade.

Cabe a cada potencial usuário da tecnologia inserir seus custos levando em consideração fatores comuns como horas por dia de uso, capacidade dos empregados, as condições de fluxo  e outros fatores.

 
Você está aqui: Página Inicial Índice Planejamento Irrigação